domingo, 25 de junho de 2017

Pau na cerveja


Pau na cerveja

Estou no domingo a relaxar
Tomando uma gelada
E minha mente a fantasiar
Uma deliciosa trepada.

Não paro de imaginar
Seu pau na cerveja afogado
Pronto para eu chupar
E beber do teu leite derramado.

Minha buceta está a piscar
Ao imaginar essa socada
Sentir pau gostoso a entrar
Nessa gruta molhada.

Gemidos e gritos de prazer
O mundo inteiro vai ouvir
Quando gulosamente me foder
Até o orgasmo eu atingir.

Imagem oriunda do Goolge

Nega Fogosa

Mimo sensual da Fogosinha

 Na solidão do aconchego
Pensamento libidinoso
Mexeu com o sossego
Da nega, ela quer um fogoso

Um tesão incontrolável
Deixou a nega molhada
Só pensando na trepada
Pois ela é insaciável

Esta nega é muito quente
Assim mostras os versos
Lateja ela e o leitor
Que parece ser bom fodedor

Ela quer fazer diferente
Regar o pau com cerveja
Derramar um espumante
Na gruta que viceja


Fogosinha

Amei essa interação bem tesuda!

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sem Pudor


Sem Pudor


Minha xoxota molhada
Abre-se como uma flor
Vem do seu néctar provar
Chupa-me com ardor
Lambe-me, morda-me
Coma-me sem pudor.

Entre quatro paredes
Nada é proibido
Quero me enroscar na sua indecência
Ter seu membro rígido submetido
As minhas loucas fantasias
No meu sumo orgástico vê-lo embebido.

Nega Fogosa